Bermudas mais curtas, e modestas!!!

segunda-feira, janeiro 23, 2012

Kirsten Dunst prova que se pode andar de bermudas quatro dedos acima do joelho sem perder o recato e a modéstia. Evidentemente, para um clima de verão e em ambientes adequados, combinando com peças que equilibrem o corte mais curto.
image

POSTS RECOMENDADOS

2 comentários

  1. Olá!

    Realmente, achei este visual muito elegante.
    Gostaria de pedir a opinião de vocês sobre o trecho abaixo. Consta num blog como o resumo das diretrizes do Vaticano sobre como se vestir de maneira modesta, porém procurei e não encontrei fontes no site do Vaticano.

    "Um vestido não pode ser considerado decente quando é demasiado decotado, ou seja, mais aberto do que dois dedos abaixo da base do pescoço; quando não cubra os braços pelo menos até ao cotovelo; e quando quase não desce um pouco abaixo dos joelhos. Além disso, os vestidos de tecidos transparentes são impróprios."

    Fico na duvida, pois, como estudante e cristã, acho que dá para ser modesta usando calças (como vemos em algumas postagens aqui no blog), mas quero muito agradar a Deus e não sei até que ponto determinados blogs expõe a modéstia ou caem no puritanismo.

    Agradeço a resposta!

    ResponderExcluir
  2. Olá Maria, também não encontrei no site do Vaticano nenhuma "diretriz" quanto ao vestuário feminino.

    Quanto aos leigos, devem limitar-se a explicar o magistério a fim de que seja melhor compreendido, sem ampliar nem restringir o seu alcance.

    Os apostolados leigos são multiplicadores, facilitadores, eles divulgam, traduzem, trocam em miúdos os ensinamentos do magistério, o seu papel não é interpretá-lo.

    Não devem os leigos arvorarem-se em construções teológicas, redigindo “estudos”, recheando opiniões com citações fora de contexto, a fim de venderem suas opiniões e práticas como se fosse o magistério.

    Um amigo sacerdote escreveu, uma vez:

    "A partir do ensinamento da Igreja – quer dizer do Papa e dos bispos em comunhão com ele – os cristãos podem fazer certas “interpretações” ou “aplicações” à sua vida concreta. A Igreja não determina qual há de ser o modo de vestir das pessoas."

    Como estudante e cristã, que quer agradar a Deus, você deve - como percebo que já está fazendo - buscar a consciência do significado das suas escolhas, e então tomar suas decisões com responsabilidade.

    Termino com uma citação de Karol Wojtyla: “Já que a roupa é considerada em relação ao problema do pudor e do impudor, talvez seria proveitoso considerar o seu papel funcional. Pois, assim como há certas situações objetivas, nas quais até a total nudez do corpo não é impudica, porque a função própria desta nudez não é provocar nenhuma reação a respeito da pessoa como objeto de uso, assim também com certeza há várias funçnoes das várias maneiras de vestir-se ligadas `a parcial ou total nudez do corpo, por ex., no trabalho físico, durante o calor, no banho, perante o médico. Tratando-se de qualificar moralmente a maneira de vestir-se, é preciso partir da variedade de funções, `as quais a roupa deve servir. Não deve considerar-se impudica a pessoa que usa determinada roupa, mesmo que apareça a nudez parcial, se realiza uma função objetiva. No entanto, seria impudico o uso de tal roupa for a de sua própria função, e assim também deve ser percebido. Por exemplo: não é contrário ao pudor tomar banho de maiô, mas sê-lo-ia usá-lo na rua ou na avenida.”

    Um abraço e fique com Deus!

    ResponderExcluir

Modest Fashion Network

Curta no Facebook

Moda e modéstia

Estou no Instagram @aline.brodbeck