Meia-estação

quarta-feira, setembro 22, 2010

look image


look image

look image

look image

look image

look image

look image

look image

look image

look image

look image

look image




POSTS RECOMENDADOS

9 comentários

  1. oi achei seu blog por acaso
    estou te seguindo
    gostei muito
    passa la no meu tmbm
    bjs

    ResponderExcluir
  2. oi Aline, meu nome é Carol e achei seu blog numa busca que estava fazendo. Gostei muito, seu estilo é d+. Bjinhos...

    ResponderExcluir
  3. Alguns modelos são muito bonitos. Mas tem uma saia aí que honestamente não tem nada de modesta, não se você tomar como modesta o que a Igreja ensina e não o meio-termo entre a santa doutrina e o que é "normal" hoje em dia...

    ResponderExcluir
  4. Cynthia,

    É claro que nem todas são modestas. Mas veja, eu deixo isso bem claro no "Proposta do Blog". Perceba que o programa Looklet, em que se pode criar modelos, não apresenta saias com comprimentos ideais.

    A proposta é fazer "o mais recatado possível dentro da estética, da elegância". Evidentemente, alguns modelos podem e DEVEM ser adaptados.

    Ninguém aqui está defendendo meio-termo.

    ResponderExcluir
  5. "o mais recatado possível dentro da estética, da elegância".


    Poxa, será que não seria mais apropriado fazer o mais elegante possível dentro do recato?
    Pq são coisas completamente diferentes. Com certeza uma mulher totalmente recatada mas sem elegância não está pecando, ou está? E quanto ao contrário?

    Se for preciso não seguir absolutamente nenhuma moda para estar realmente modesta, que assim seja.

    Mas isso não acontece, porque é sim possível se vestir de forma totalmente modesta e elegante, e usar algumas peças da moda, sem dúvidas.

    E se existe uma linha, muito fina entre o que é ou não modesto, o que ofende ou não à Deus, vc quer ficar exatamente em cima dela?
    Qual o motivo poderia existir para não largar calças e usar as saias que cubram os joelhos?
    Que necessidade louca é essa que não permite que abra-se mão disso?

    Enquanto isso, fica-se brigando por centímetros a menos, justificando que não é imodesto se aparecer só um tiquinho do joelho, ou se usar uma calça com a blusa que tenha tal comprimento...

    Pq arriscar? vale a pena arriscar estar sendo imodesta só para ficar mais "na moda"?

    Por via das dúvidas, não seria melhor simplesmente seguir a Igreja? ;)

    ResponderExcluir
  6. Cynthia, seguir a Igreja não significa usar somente saias que cubram o joelho... O uso de calças só é proibido em seitas puritanas, não na Igreja Católica! Se fosse assim, Santa Gianna estaria condenada! :)
    Se a saia mais curta apareceu em um post da Aline, pode ter certeza de que ela estava ali apenas como uma ideia que deve ser adaptada...já viu a Aline usando sainha curta?
    Podemos facilmente seguir a moda, nos vestir bem, ficarmos elegantes e bonitas sem ferir a modéstia, e essa é a proposta desse blog...se podemos ficar bonitas, modestas e na moda, porque não?

    Esse negócio de "pode usar isso, não pode aquilo, mulher só usa saia até o pé" é puritanismo e, isso sim, vai de encontro com o que ensina a Igreja.

    ResponderExcluir
  7. Cynthia,

    Vamos por partes.

    Primeiro que a Igreja não fez uma lista do que pode e não pode, ok? E por que? Porque há temas que o que nos irá guiar é a moral.Aplicamos a moral à realidade. Logo, uma roupa será modesta ou não de acordo em como aplicamos a moral. A Igreja JAMAIS fez uma listinha que saia assim pode, saia assim não pode. Repito: é a moral que nos ajudará a compreender. Até porque a Igreja não ia dar conta de contratar tanta costureira pra sair medindo a mulherada por aí. Por isso, ela conta com a NOSSA competência intelectual para isso. E sabemos que há um senso comum sobre moral, não é? Todos nós sabemos que sair pelado é amoral, que trair o esposo também o é e assim por diante.
    Pois bem. Entendendo que a modéstia parte do princípio da moral - e não o contrário - nós estamos numa sociedade que relativizou o que é moral. Só que não dá pra relativizar algo que não faz relação, compreende? Não dá pra dizer que sair pelado é relativamente moral. Não. Sair pelado é amoral. Sair vestido decentemente é moral. Mas eles inventam moda. Não me pergunte como as pessoas conseguem fazer isso. Eu juro que tentei entender, mas não consigo.

    A saia que vc viu pode, por exemplo, ficar recatada com meia fio 80 (aquela bem grossa) ou ainda uma legging. A saia, em si, pelo tamanho, não é legal nem modesta, mas com outros acessórios, torna-se. Então dá pra ser elegante e modesta ao mesmo tempo sem ser amoral. E é aí o felling que Aline está dando: o look do site não é legal, não é modesto, MAS a gente pode torná-lo. Entendeu? Dá pra gente aproveitar uma roupa da moda e adaptá-la.

    A elegância e o recato são parceiros, Cyntia. Dificil alguém elegante sem recato, pois na elegância mora a modéstia. Então eu duvido que alguém peque por não ter elegância, mas ser modesto. Creio que falte com a caridade quem não tem nem um, nem outro.

    Até porque, Cyntia, ser elegante e modesta não é sinônimo de ser apagada. A gente não precisa andar com a mesma cor e a mesma roupa todo dia por medo de pecar. A gente precisa é refletir sobre o que queremos transmitir com a roupa que usamos. E cá pra nós: cada um tem maturidade suficiente pra entender isso, né? Não precisa a gente pagar de xarope e ficar com fita métrica atrás, né? Muito mais ficar medindo as intenções da articulista do blog, né não?

    Pax.

    ResponderExcluir
  8. Cynthia,

    "Poxa, será que não seria mais apropriado fazer o mais elegante possível dentro do recato?"

    A ordem dos fatores não altera, NO CASOa, o produto. Ser o mais elegante possível dentro do recado ou ser o mais recatada possível dentro da elegância, NO CONTEXTO, dá na mesma. Duvido que minha esposa Aline, que está sem tempo de responder aos comments, e deixou os posts todos programados, queira sacrificar a modéstia em nome da elegância.

    Até porque elegância vem do latim "elegire", i.e., escolher. A melhor escolha, a melhor elegância, é que a combina com a moral, com a modéstia.

    ResponderExcluir
  9. Com certeza, uma mulher recatada sem elegância não estará pecando, mas neste blog temos sugestões de modelos e combinações de roupas e tons, o que é muito útil para uma mulher que, mesmo seguindo os preceitos da Igreja, está inserida num contexto social de trabalho, eventos e mesmo de participação ativa em sua comunidade. Quem preza pela modéstia sabe que ser modesto inclui ser elegante. Como? A falta de elegância chama mais a atenção do que a elegância em si e isso não quer dizer que devemos ser escravas da moda. Para Deus, elegantes ou não, somos seus filhos, mas e os irmãos que são obrigados a nos ver todos os dias? Se dermos uma palestra na Igreja e estivermos mal vestidas, chamaremos a atenção para nós mesmas e não para aquilo que estaremos pregando e o mesmo acontece com quem exagera na vestimenta. Ser modesto é ter o bom senso de saber que a roupa não é o que somos, mas manifesta o que somos.
    Acompanho o blog da Aline há algum tempo e sempre vejo seus alertas quando a indicação não parece ser tão modesta. A proposta é oferecer às leitoras dicas e não impor padrões. A saia que parece não ser modesta pode ser um referencial para aquelas que gostaram do estilo mas sabem que devem usá-la um pouco mais comprida, e isso não significa que devamos medir palmo a palmo o tamanho de nossas saias e vestidos.

    ResponderExcluir

Modest Fashion Network

Curta no Facebook

Moda e modéstia

Estou no Instagram @aline.brodbeck