Mamãe cansada ou mamãe desleixada?

sexta-feira, outubro 18, 2013

Estive refletindo sobre uma discussão entre mães, na qual algumas alegavam que valia andar de qualquer jeito dentro de casa, sem se preocupar com o que está vestindo, e que podiam dormir e acordar a hora que quisessem, uma vez que seu “turno” tem horário maluco. Em parte é verdade.

É certo que quando se tem um bebê em casa ou quando os filhos são pequenos e estão adoentados pela noite é necessário, quase vital, uma cochilada durante o dia. O que não vale é achar que, por causa da maternidade, a vida e a rotina acabaram. Nem mesmo é justificativa para que se tenha um bad hair day perene.



Pergunto-me se as mães que trabalham fora ficam tirando sonecas pelos cantos, no sofá ou na cadeira de trabalho? Ou se vão trabalhar de pantufas, sem se pentear, com um cabelo enrolado em uma presilha? Ora, se conseguem dominar seu sono e se enfeitar para o exercício laboral fora de casa, por que não para o exercido dentro do lar? Por que razão nossos filhos e maridos merecem tão pouco?

Fico encantada com as histórias das mulheres de antigamente que tinham mais de dez filhos. Eram as primeiras a levantar e as últimas a irem dormir. Sempre bem asseadas, com os caprichos que lhes eram permitidos por seus recursos na época. Sempre pontuais e diligentes. E, claro, estou falando de capricho, autodisciplina e elegância, mas não necessariamente que todas eram princesas desfilando os melhores vestidos na corte. Cada situação, necessidade, circunstância histórica e cultural, e condição social impõem determinada aplicação concreta e prática da elegância, mas, como é óbvio, é sempre elegância.

Se quisermos ser exemplo pra nossos filhos é necessário mais que mera disposição e romântica boa vontade. Nossos filhos precisam se livrar desse terrível mal do hedonismo e da frouxidão – que se manifesta também nos gestos exteriores. Temos que nos policiar para sermos pontuais, organizadas, bem arrumadas e mostrar felicidade e positividade a eles.

Demais? Somos humanas? Sim! Não nos nivelemos por baixo, entretanto.  Se eu tenho disposição para passar noites acordadas para terminar um trabalho para meu chefe ou a fim de conquistar minha promoção na empresa, e no outro dia estou cedo pronta e arrumada novamente para o escritório, por que eu não faço o mesmo pela minha família?

E o computador e a pilha de papéis que me acompanhariam pelo serão na madrugada não vão me dar o mesmo sorriso banguela lindo de gratidão. E, no entanto, no convívio diário com meus pequenos e com meu marido, eu me aprumo como para meu emprego?

Um disclaimer. Não estou dizendo que não vamos ter um dia ruim, nem que não possa me vestir de modo mais casual ou despojado, e que tenho que ser perfeita ou encarnar uma caricatura de grande dama da alta sociedade. Tenho, sem embargo, que me esforçar pela minha família como se me esforçasse pela carreira profissional. Também no modo como me visto, me maquio e pinto as unhas.


Devo não criar um personagem de uma elegância vazia, mas dar a melhor versão de mim mesma.

POSTS RECOMENDADOS

7 comentários

  1. Refletia sobre isso dia desses. Fico tão chinelona dentro de casa... minha família merece mais.

    Obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Boa reflexão.

    Particularmente não consigo ficar tão "jogada", mesmo estando em casa. Me sinto mal, pois só fico desleixada quando estou fora da minha rotina, e isso me dá uma péssima sensação.

    Claro que às vezes acontece de eu estar muito cansada e não ter paciência de me ajeitar - afinal, sou humana e não uma boneca Barbie - , mas isto é exceção.

    Também não tenho filhos ainda, minha realidade é outra. Apenas quero corroborar com a ideia de que o exterior conta e que, embora exista momentos em que a pessoa possa ficar mais à vontade, isso não é desculpa para estar "terrível".
    Cabelos sempre penteados, sim! Sempre cheirosinha, sim!
    Aspecto de limpeza é tudo numa pessoa.

    Minha avó foi uma das grandes formadoras da minha vida. Cuidou de 7 filhos e eu não me recordo de algum dia tê-la abraçado e não ter sentido aquele maravilhoso cheirinho. Pense numa mulher cheirosa mesmo estando na beira de um fogão o dia todo fazendo as mais saborosas comidas para tanta criança.
    Minha bisavó igualmente, cuidou de 13 filhos e sempre esteve linda, mostrando sua dignidade através das pequenas coisas. Meu bisavô, grandioso homem, também se vestia bem. Camisa de botão fininha diariamente (o matuto tem essa mania) e... pense num véi cheiroso! <3

    O costume era de nunca ficarmos em casa em situações que não se pudesse receber uma visita de surpresa. Coisas de interior...

    ResponderExcluir
  3. Tava pensando nisso...que bom que não foi só eu! Penso assim também. Não é desculpa, nem por mim, nem pelo marido e nem pelas crianças. Preciso de qualidade no meu dia, então posso tirar um tempinho pra estar melhor aparentemente.

    ResponderExcluir
  4. O trabalho da mãe, esposa e dona de casa deve ser visto profissionalmente, pois assim é verdadeiramente. Se as que permanecem trabalhando dentro de casa não se valorizam, ninguém vai fazê-lo por elas. Tive as duas experiências e nunca me permiti ficar com "cara de mãe" ou aparência de "desterrada no lar". Faz bem a todos, em primeiro lugar a você mesma!

    ResponderExcluir
  5. Gostei, sabe que nunca tinha pensado nisso? Gastaria roupas e tempo me arrumando para trabalhar fora, então posso ficar arrumada para cuidar dos meus! Pior coisa é quando chega alguém de surpresa e vc está mulambenta. Desleixo não mais! Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Descobri este blogue hoje mesmo e já gostei logo desde post.
    É bem verdade. Muitas vezes penso nisto. Penso que não temos de andar arranjadas apenas quando saimos de casa. Muitas mulheres estão desarranjadas em casa, pensando "é fim-de-semana", ou "preciso de descansar" e só se arranjam para sair. Em casa estão mal amanhadas. Mas o marido, os filhos, os irmãos, quem quer que seja, também precisam de ver a mulher bonita, elegante em casa. Aliás, é à situação familiar que devemos dar mais importância. Devemos preocupar-nos por agradar mais aos nossos entes queridos do que aos de fora.
    Sabiam que as mulheres muçulmanas, por baixo daquelas roupas que usam na rua, andam muito bonitas? Muitas vezes vemos essas mulheres a comprar roupa na Massimo Dutti ou na Zara.. em lojas com roupa muito bonita e não percebemos porquê. mas a verdade é que elas, em casa, andam muito bem vestidas, maquilhadas, com cabelo arranjado, para agradar o marido e os filhos.

    temos de andar arranjadas na rua, claro que sim. mas em casa também!

    ResponderExcluir
  7. Lembro da minha mãe, dona de casa, na década de 80, cuidando da vida de 4 crianças e mais do marido, muito pouco ouvi suas queixas de cansaço. Estava sempre disposta, presente, interessada em cada detalhe de nossas vidas. Também quero ser assim para o meu marido, para minha filha e para os seus irmãos que, se Deus quiser, Ele me mandará em breve.

    ResponderExcluir

Modest Fashion Network

Curta no Facebook

Moda e modéstia

Estou no Instagram @aline.brodbeck