Vida de oração da mulher católica: uma (grande) reflexão

sexta-feira, agosto 11, 2017

Vida de oração da mulher católica

Não só de moda vive este blog. É importante abordar temas como a vida de oração da mulher católica, tratando-se o Femina de uma iniciativa de apostolado no meio feminino.

Evidentemente que a vida de oração é um chamado a todos os cristãos, homens e mulheres. Não cabe, absolutamente, falar de uma vida de oração da mulher católica como se ela fosse distinta, em sua essência, daquela a que os homens também são chamados a ter.

Todavia, pelas particularidades da alma feminina, pelo modo como ela expressa seu temperamento, pelas ocupações distintas próprias de sua condição, pela sua estrutura psicológica emocional, é compreensível tecer alguma espécie de comentário aos caracteres específicos da vida de oração da mulher católica, distintos da espiritualidade em geral. 

O específico da vida de oração da mulher católica

"Na Nova Aliança, a oração é a relação viva dos filhos de Deus com o seu Pai infinitamente bom, com o seu Filho Jesus Cristo e com o Espírito Santo. A graça do Reino é «a união de toda a Santíssima Trindade com a totalidade do espírito».  Assim, a vida de oração consiste em estar habitualmente na presença do Deus três vezes santo e em comunhão com Ele. Esta comunhão de vida é sempre possível porque, pelo Batismo, nos tornamos um só com Cristo. A oração é cristã na medida em que for comunhão com Cristo, dilatando-se na Igreja que é o seu corpo. As suas dimensões são as do amor de Cristo." (Catecismo da Igreja Católica, 2565)

Vida de oração da mulher católica

Isso se aplica a todos os crentes, sejam homens, sejam mulheres. O que é o específico da vida de oração da mulher católica, então? É o expressar, pela oração, da sua feminilidade. A mulher, receptiva por natureza, tem um chamado especial na ordem das coisas. Eu falo isso em meu livro, que ainda não está pronto:

"É próprio dela receber a semente do homem em seu seio, gestando e guardando a vida humana desde o seu início. Ela é a destinatária do amor para, sendo amada, amar. 

Ensina o Papa São João Paulo II: 'Quando dizemos que a mulher é aquela que recebe amor para, por sua vez, amar, não entendemos só ou antes de tudo a relação esponsal específica do matrimônio. Entendemos algo mais universal, fundado no próprio fato de ser mulher no conjunto das relações interpessoais, que nas formas mais diversas estruturam a convivência e a colaboração entre as pessoas, homens e mulheres. Neste contexto, amplo e diversificado, a mulher representa um valor particular como pessoa humana e, ao mesmo tempo, como pessoa concreta, pelo fato da sua feminilidade. Isto se refere a todas as mulheres e a cada uma delas, independentemente do contexto cultural em que cada uma se encontra e das suas características espirituais, psíquicas e corporais, como, por exemplo, a idade, a instrução, a saúde, o trabalho, o fato de ser casada ou solteira.' (Mulieris Dignitatem, 29)"

Essa receptividade vai afetar também como se desenvolve a vida de oração da mulher católica.

É próprio da mulher ter sentimentos mais aflorados e ela os levará isso para a oração distintamente do homem. Não digo que a mulher é escrava dos sentimentos ou que apenas o homem é racional. Todos somos racionais, é o que nos faz seres humanos. A inteligência é faculdade da alma. Mas o modo como os sentimentos aparecem na psicologia da mulher e a maneira como ela lida com eles são diferentes. E isso é uma bênção. A complementariedade entre homem e mulher só se enriquece com isso. 

A vida de oração da mulher católica será seu diferencial em relação àquelas que que não rezam ou àquelas que apenas o fazem mecanicamente.

Vida de oração da mulher católica
Minha família e eu com o Bispo de Frederico Westphalen,
Dom Antonio Carlos Rossi Keller.

Vida de oração da mulher católica que é imagem da Igreja

A mulher é imagem da Igreja. O homem é imagem de Cristo. Como Cristo ama a Igreja, o marido deve amar a esposa. E essa analogia ajudará na descoberta e valorização de sua dignidade, bem como do cultivo realista e exigente da vida de oração da mulher católica.

Como a Igreja ora, a mulher ora. Como a Igreja intercede, a mulher intercede. Como a Igreja louva e adora, a mulher louva e adora. Como há uma vida de oração da Igreja, há uma vida de oração da mulher católica. Sempre tendo por modelo Maria Santíssima. O ódio que Satanás tem por Maria, a "Mulher" do Apocalipse é, de certa maneira, estendido a todas as mulheres, no que, longe de representar um perigo, é causa de dignidade: pior seria se de alguém o diabo gostasse... É um privilégio ter o ódio do inferno. E uma responsabilidade: mais e mais temos de fortalecer a vida de oração da mulher católica.

Apostolado e vida de oração da mulher católica

Muitas mulheres leigas redescobriram, nos últimos anos, a urgência do apostolado. Nem sempre o fazem com a devida atenção à sua condição de leigas, cujo chamado principal é a santificação das estruturas temporais, o levar Cristo ao mundo no meio dos deveres de estado, da vida social, do trabalho, da família, do lazer, do trânsito normal na sociedade. Mas isso seria um tema a ser tratado em outro post. Basta que saibamos e reconheçamos a boa vontade de se trabalhar para Cristo de tantas e tantas mulheres.

Vendo o crescimento dessa dimensão apostólica, que ganha contornos maiores quando estamos diante das redes sociais, que são ótimas ferramentas para a evangelização (quer em uma abordagem direta e explicitamente religiosa, quer pela divulgação da vida em família, da modéstia no vestir, da vocação ao casamento e à maternidade, da vida cotidiana), precisamos nos perguntar se essas mulheres tão dedicadas ao apostolado estão, contudo, rezando. E não se trata apenas de rezar pura e simplesmente, como quem cumpre um ritual ou um costume, ou apenas recita fórmulas. Estão as mulheres realmente vivendo a oração? Elas possuem costumes de oração ou autêntica vida de oração? Que a vida de apostolado tenha crescido é patente, mas cresceu também a vida de oração da mulher católica?

Vida de oração da mulher católica
Minha Crisma pelas mãos de Dom Jayme Henrique Chemello, Bispo Emérito da Arquidiocese de Pelotas.
Os sacramentos são parte da vida de oração da mulher católica.

Vejam a expressão: não só oração, mas vida de oração! Viver pela oração, tornar a oração parte da vida, algo natural e tão próprio do cotidiano que se saiba que a todo instante estamos diante de Deus e podemos com Ele dialogar.

Sem vida de oração autêntica, ademais, não se pode ter verdadeiro apostolado. Ou ele é falso ou está desvirtuado. Não pode o copo transbordar se antes não estiver cheio. Dom Jean-Baptiste Chautard, OCist, escreveu o clássico "A alma de todo o apostolado", que recomendo vivamente. Nele, o monge expõe que a alma do apostolado é a oração. Um corpo sem alma é morto. Um apostolado sem oração também é morto. 

O apoio que me dá o Regnum Christi

A vida de oração da mulher católica é muito ajudada por programas e roteiros de prece, esquemas de oração etc. Eu tenho a graça de pertencer a um movimento de apostolado internacional, reconhecido pela Santa Sé, o Regnum Christi.

"El Regnum Christi es un movimiento de fieles católicos que buscan vivir su vocación de discípulos y apóstoles cristianos, testimoniando el Reino de Cristo y colaborando en hacerlo presente en el mundo." (Borrador de los Estatutos Generales del Regnum Christi, 1, § 1º)

No Regnum Christi, levamos o dever de fazer apostolado a sério. E justamente por isso, sabemos que é preciso para um frutífero apostolado ter vida de oração. Sem ela, não se pode ser apóstolo. Cristo nos chama para ir ao mundo anunciar o Evangelho, mas antes para estar com Ele. Sem vida de oração da mulher católica, não há... mulher realmente católica!

vida de oração da mulher católica
Véu, Bíblia e Manual de Orações do Regnum Christi: para uma autêntica vida de oração da mulher católica.

O espírito do movimento é evangelizador, mas também contemplativo. 

"1.° Contemplativo, porque los miembros del Movimiento descubren la presencia y el amor de Cristo en su propio corazón, en el prójimo y en el mundo; buscan ser hombres y mujeres de vida interior, amantes de la oración, y reconocen la primacía de la acción de Dios en su propia santificación y en el apostolado." (idem, 17)

Somos chamados a desenvolver sua vida cristã no movimento tendo em conta alguns elementos, dentre os quais, está, em primeiro lugar, a vida espiritual. É pela vida espiritual da mulher que crê e faz apostolado, pela vida de oração da mulher católica, que necessariamente expressa e aumenta a busca pela própria santidade, que a alma cresce no amor a Deus.

Práticas de piedade para ajudar na vida de oração da mulher católica

É nesse sentido que o movimento nos sugere uma lista de práticas de piedade a realizar diariamente, os chamados compromissos espirituais: oferecimento de obras a Deus pela manhã; a oração mental pessoal ou meditação, por quinze minutos, no mínimo; a reza do Angelus ao meio-dia e às dezoito horas, ou do Regina Coeli no Tempo Pascal; uma dezena do terço, pelo menos; a visita a Cristo na Eucaristia ou, em caso de impossibilidade, ao menos uma comunhão espiritual; a leitura e a reflexão do Evangelho do dia proposto pela liturgia; e ao fim do dia o balanço, uma espécie de exame de consciência abreviado, seguido do Pai Nosso, da Ave Maria e do Credo Niceno-constantinopolitano. Também procuramos nos confessar regularmente, assistir Missa em um dia da semana além do Domingo, e ter semanalmente um tempo de leitura espiritual e uma hora eucarística, de preferência às quintas-feiras. Uma vez por mês, paramos um turno para o retiro mensal ou retiro de meio-dia. E, enfim, todos os anos, passamos uns dias em retiro, que chamamos de tríduo de renovação, ou em exercícios espirituais, para renovar nossos compromissos com Deus e a Igreja no movimento.

Trata-se de um programa de vida espiritual exigente, e que é bastante adequado para expressar a vida de oração da mulher católica. Programa que é acompanhado de perto pelo diretor espiritual, geralmente um padre legionário de Cristo, e que é auxiliado por um plano de vida pessoal ou programa de reforma de vida, no qual estabelecemos os pontos em que devemos mais lutar para corresponder à graça de Deus e vencer nossos vícios dominantes.

O programa de oração do movimento pode muito bem servir de modelo para qualquer mulher católica que me acompanha aqui no blog. Cuide-se, entretanto, que não se trata da mulher simplesmente cumprir preceitos de oração. Estamos falando de uma autêntica vida de oração da mulher católica.

Assim diz, sobre essas práticas de vida espiritual:

"Las prácticas de vida espiritual que el Movimiento propone a los miembros laicos son un medio para crecer en la relación de amor con Cristo." (idem, 54)

Não se reza apenas por dever, embora seja um dever, mas para crescer na relação de amor com Cristo. É uma verdadeira relação, como nos relacionamos com outras pessoas. E relação de amor, o que importa em ter convivência, em ter muito em mente a Sua presença na alma pela graça. Não é a oração da mulher católica, e sim VIDA de oração da mulher católica.

vida de oração da mulher católica
De joelhos, com véu, aos pés do altar de nossa casa,
nos tempos em que morávamos em Itaqui, RS.
Vida de oração da mulher católica: joelho no chão!
Recordávamos acima que a oração é a alma de apostolado, como ensina o insigne abade cisterciense. Um dos nossos manuais internos também explicita esse tema:

"Todo progreso en santidad y todo fruto en el apostolado está directamente vinculado con la gracia y la ayuda de Dios. «Si el Señor no edifica la ciudad, en vano se afanan los constructores». Por ello, el Movimiento invita a sus miembros a cultivar una constante y cordial unión con Dios, sobre todo mediante la oración, la digna recepción de los sacramentos y la vivencia amorosa de la voluntad de Dios. En este mismo empeño se colocan los diversos compromisos de vida espiritual que el Regnum Christi propone a sus miembros." (Manual del Miembro del Movimiento Regnum Christi, 209)

Sem meditação não há autêntica vida de oração da mulher católica

Dentre todos esses compromissos, que eu mesma assumo como mulher católica no Regnum Christi, além da essencial participação na Missa, é de fundamental importância entender a necessidade da oração mental ou meditação. É nela que vamos desenvolvendo com mais maturidade a nossa vida de oração da mulher católica.

"La meditación es un diálogo personal con Dios, en un clima de fe y amor, que ilumina y robustece en el alma y en el corazón la decisión de identificarse con la razón de ser de la propia vida: la voluntad santísima de Dios. Es una renovación desde Dios que abarca los criterios, los afectos, las motivaciones y las decisiones personales. La oración es el oxígeno del alma.

(...) 

La oración, para ser profunda y transformante, requiere la participación de la persona entera, con todo su ser y sus circunstancias: inteligencia, voluntad, afectos, imaginación, sentimientos, problemas, debilidades, aspiraciones e inquietudes, de modo que ese momento de contacto con Dios sea expresión de la propia vida y fuente de renovación, encauzamiento o rectificación a partir de Dios." (idem, 220-224)

A partir dessas linhas, podemos estabelecer um programa de vida de oração da mulher católica: oração pela manhã oferecendo o dia a Deus e oração pela noite com um exame de consciência, agradecendo e pedindo perdão; atos de presença de Deus; terço; meditação, de preferência pela manhã, antes dos afazeres. Sabemos bem que as vida de oração da mulher católica nem sempre será fácil, ainda mais quando tratamos de mulheres casadas, com lar, marido e filhos. Como Santa Teresa d'Ávila encontrava Deus entre as panelas, podemos encontrá-Lo não só entre as panelas, como entre as fraldas, mamadeiras e material escolar. Trata-se, se estamos falando de uma genuína vida de oração da mulher católica, de levar tudo para a oração (em um momento específico de oração) e fazer de tudo ocasião de oração (santificando cada ação do dia).

Vida de oração da mulher católica casada

Vida de oração da mulher católica
Meu casamento.
Não podemos esquecer, e aqui quando falo de vida de oração da mulher católica quero especificar a casada, de rezar por nossos maridos e filhos. 

É como falei em nosso livro "Família católica, Igreja doméstica", escrito com meu marido e que está prestes a ir para todas as livrarias do país:

"A esposa é, por excelência, o coração do lar. Mesmo que trabalhe fora, cabe a ela o papel de ser a dona da casa, de gerenciar o andamento do lar, e, mais ainda, apaziguar os ânimos, ser o esteio, a referência amorosa de todos que lá vivem. É na esposa que o marido encontrará conforto ao chegar de sua jornada de trabalho. É na mãe que os filhos acham o regaço fiel e acolhedor em todos os momentos. E isso pela própria conformação psicológica da feminilidade. Não se trata de mero papel social definido pela cultura, mas de um dado antropológico, da natureza da mulher.

Por isso, sua oração é o sustento da casa cristã. 

É verdade que o pai deve rezar e, como sacerdote da Igreja doméstica, cabe a ele apresentar e representar sua família diante do trono de Deus. Ele, o pai, o marido, é o intercessor por definição, o mediador entre a família e o Senhor, como um padre o é entre a sua paróquia ou comunidade e o mesmo Deus. Ele é como Cristo.

Todavia, o intercessor maior precisa de um auxílio. E a mulher, criada como uma ajudadora para o homem, missão primordial de Eva em sua criação, é esse auxílio também na oração. O homem que intercede por todos em sua casa precisa de alguém que interceda por ele e o ajude a interceder pelos filhos. Ela, a mãe, a mulher, é a intercessora unida à intercessão do marido, a co-mediadora, como uma religiosa consagrada, como uma monja. Ela é como Maria.

(...)

A mulher de oração ajuda o marido na intercessão pelos filhos, e intercede, ela mesma pelo marido. Mais ainda: ela descobre que, pela oração, deve rezar pedindo, antes da mudança eventual do marido, curando seus defeitos, pela sua própria conversão. Se o marido deve mudar, precisa ela mesma mudar antes. Se está centrada em Cristo, sabe que sua alma é a primeira a ser salva, e não se vê em condições de cobrar uma mudança espiritual se ela mesma não muda. A transformação pela graça primeiro se opera na esposa que ora, para depois agir no marido por quem ela ora. 

A oração é a melhor ferramenta de transformação do lar, e disso a esposa cristã deve ter plena consciência. Ainda que o marido não seja cristão ou o seja só de nome, cabe a ela rezar. E se ele é um cristão consciente de seus deveres de esposo e pai, ela se junta a ele para interceder pelo lar. 

Sejamos práticos.

Primeiro a esposa deve rezar louvando a Deus pelo dom de sua feminilidade, pela vocação ao casamento e à maternidade. Depois, deve pedir orientação ao Senhor de como melhor agir como esposa e mãe, e rogar as graças necessárias para isso. Enfim, apresentará diante do Pai as necessidades de sua casa, seu marido e seus filhos. Ela reza por sua vida, pela vida dos que lhe foram confiados, pelas finanças de sua casa, pelas suas necessidades espirituais, pelo aumento do amor mútuo edificado em Cristo, e pela santidade de todos os que moram naquele lar. Ela pede que tenhamos forças para enfrentar as tentações, que o mundo, a carne e o diabo não tenham domínio sobre seu lar. Que vença seus medos e tenha a fortaleza que Deus pede que tenha. Seu objetivo, como cristã, é adquirir a posse do Espírito Santo e dele ser cheia, como ensinava o monge russo São Serafim de Sarov. Pela oração, aprenderá aos pés do Senhor como modificar seus agir, seu pensar e seu falar, para ser cada vez mais plenamente moldada pela graça e fiel a Jesus. Suas atitudes, seus compromissos, seu modo de ser, o seu relacionamento com os filhos e com marido, também serão objeto de oração.

É isso que uma esposa e mãe faz quando ora por seu lar. Simples e claro, ciente de que tudo o que pedir a Deus em oração, ela deve crer e receberá (cf. Mt 7,7-8; Mc 11,24)."

A vida de oração da mulher católica requer compromisso, requer exigência, mas é simples e realista. Adequada ao seu estado de vida - uma monja e uma esposa rezarão de modos e em circunstâncias distintos -, mas sem fazer desse realismo uma desculpa para não ser exigente. Se a mulher católica é exigente no trato das coisas do lar ou até do trabalho externo, como não seria com alma? Aqui está em jogo a própria salvação, não só a eficácia do seu apostolado e o consolo em meio aos deveres de estado. "Quem reza se salva, quem não reza se condena", ensinava Santo Afonso de Ligório. 

Vida de oração da mulher católica solteira

"Para mim, a oração é um impulso do coração, é um simples olhar lançado para o céu, é um grito de gratidão e de amor, tanto no meio da tribulação como no meio da alegria." (Santa Teresinha do Menino Jesus)

A frase se aplica à vida de oração da mulher católica em qualquer estado. Na verdade, a qualquer cristão, mulher ou homem. Mas agora consideremos a vida de oração da mulher católica solteira, especialmente a que tem vocação ao Matrimônio.

Vida de oração da mulher católica
Ainda solteira, namorando, com véu branco, e meu hoje marido.

É essa fase da vida em que, tendo namorado, viverá esse relacionamento como um noviciado. O que é o noviciado para a vida religiosa, é o namoro e o noivado para o casamento. E como um noviço reza intensamente para se fortificar em sua vocação, o namoro há de ser um espaço privilegiado para a vida de oração da mulher católica solteira.

Reza por sua castidade, para fugir das ocasiões de pecado, pelo seu namoro, pelo namorado, pelo futuro Matrimônio, pelos filhos que Deus quiser lhes dar e pela vocação desses futuros filhos. Reza para ser santa, para que, embora possa e deva fazer apostolado, não se perca em meio a disputas inúteis e dedique-se a conquistar almas para Cristo, especialmente nos meios em que ela, como católica leiga e jovem, convive.

O texto foi longo. Mas necessário! O tema da vida de oração da mulher católica é importantíssimo! 

Se o coração feminino exala a fé cristã, haverá fruto da vida de oração da mulher católica, e isso transparecerá em tudo, inclusive em seu vestuário, tema tão caro ao blog. A vida de oração da mulher católica, com a coerência que dela vem pelo auxílio da graça, a ajudará a conseguir um relacionamento conjugal sólido e sadio. "O coração de uma mulher deve ser tão próximo de Deus que um homem precisa persegui-Lo para encontrá-la." (C.S. Lewis)

E não esquece de me seguir no Bloglovin e no Instagram.

POSTS RECOMENDADOS

1 comentários

  1. Este post era tudo que eu precisava hoje. Pela manhã, enquanto vinha trabalho pensava gravemente sobre como uma pequena oração pela manhã muda nossa vida. Preciso me confessar e reassumir dignamente meu papel de esposa, futura mãe, dona de casa e profissional.

    Andrea Vaz

    ResponderExcluir

Modest Fashion Network

Curta no Facebook

Moda e modéstia

Estou no Instagram @aline.brodbeck