Que as mulheres católicas querem no dia dos namorados

domingo, fevereiro 14, 2010

Que as mulheres católicas querem no dia dos namorados
Entrevista com a colunista americana Rebecca Ryskind Teti

Por Genevieve Pollock

HAYATTSVILLE, domingo, 14 de fevereiro de 2010 (ZENIT.org).- O dia de São Valentim (dia dos namorados nos EUA e em muitos outros países) celebra-se este domingo. Muitos homens correm para preparar algo que reflita o significado de seus relacionamentos.

Perguntam-se: será que ela quer algo material este ano, como joias ou rosas, ou melhor, um passeio noturno?... Será que ela tem me dado sugestões que eu não escuto?

ZENIT perguntou a Rebecca Ryskind Teti, esposa e mãe, que revela o que as mulheres realmente querem nesta data de 14 de fevereiro. Teti, que tem um blog atualizado diariamente em www.faithandfamilylive.com, perguntou a suas leitoras, mulheres de todo país, sobre seus planos e espectativas para o domingo.

Teti, também colabora em Faith & Family Magazine e é colunista da seção In Good Company da Catholic News Agency.

Com a proximidade do dia de São Valentim, estamos sendo bombardeados com anúncios de televisão que dão a impressão de que todas as mulheres querem neste dia 14 diamantes e telefones celulares. Essas coisas materiais fazem realmente as mulheres felizes? O que faz as mulheres felizes ?

–Teti: Os presentes ajudam! Os anúncios exageram para vender produtos concretos, mas na medida em que um presente é uma amostra de algo mais profundo - de amor, afeto ou reconhecimento - com certeza é muito agradável.

A publicidade às vezes nos ofende com a ideia de que as mulheres vivem para os presentes, de que os presentes têm de ser extravagantes para valer.

Não devemos descuidar do argumento positivo que também está presente, que tivemos um tempo para demonstrar à pessoa amada nosso apresso.

As coisas materiais não têm poder de nos fazerem felizes, mas fazem que nossa rotina diária saia um pouco do convencional. Não somente vivemos de pão, porém damos graças pelo pão.

O que as mulheres desejam, especialmente as católicas, no dia de São Valentim?

–A maioria de nossas leitoras menciona que espera as satisfações simples: um cartão, chocolate, talvez uma rosa. Algumas estão esperando uma oportunidade para sair, enquanto outras esperando uma noite tranquila em casa.

Independentemente da forma de sua imaginação, contudo, o que todas as mulheres casadas que responderam querem é passar um tempo com seus maridos. O desejo parece ser o de romper a rotina diária das tarefas e obrigações, e somente poder desfrutar da companhia do outro por um tempo.

Uma mulher, rindo, pedia brincos de zafira, mas disse que não os esperava este ano. Estava pensando em muitos anos pela frente - talvez um extravagante dia dos namorados que pudesse acontecer uma vez em sua vida de casada.

O que buscam particularmente as mulheres em seus maridos?

–Teti: Essa é uma pergunta que tem uma resposta grande! Vou limitar minha resposta a algo que se restrinja ao dia dos namorados.

Graças à “Teologia do Corpo”, do venerável João Paulo II, a Igreja compreende mais profundamente que nunca o sentido da linha do Gênesis: “homem e mulher os criou”.

Em outras palavras, o homem e a mulher juntos apresentam à humanidade uma imagem de Deus.

A vocação da mulher é a de revelar a beleza de Deus ao mundo.

A mulher foi feita para ser bela. A ênfase de nossa cultura na beleza física não é equivocada, muito pouco profunda e frequentemente mal dirigida.

A maneira mais profunda que demonstra como uma mulher é bela é quando revela aos demais sua própria bondade, ensinando o amor que Deus tem para eles. Esse é o “gênio feminino”: revelar a bondade da pessoa humana, e portanto a beleza de Deus.

O que a Madre Teresa de Calcutá fez pelos pobres, cada mulher pode fazer em seu meio de vida, e certamente cada mãe o faz em sua casa por seu marido e filhos.

Este é o mais satisfatório e feliz “trabalho” das mulheres, mas há em cada mulher a necessidade emocional de sentir que sua beleza é apreciada.

Uma das melhores coisas que um homem pode fazer por sua esposa é lhe dizer que é bela. Esse é o verdadeiro significado de um gesto romântico para a maioria das esposas, eu penso: É um sinal de que não seja apreciada como cozinheira ou motorista, mas amá-la como esposa.

O dia dos namorados tem suas raízes no cristianismo. Na verdade, existem vários santos chamados Valentim que foram mártires da Igreja primitiva. O que acontece com essa festa cristã, que tanto apela para a cultura popular que tem sido tão bem acolhida?

–Teti: Creio que temos de agradecer ao escritor Geoffrey Chaucer por isso. Mas não se sabe muito sobre qualquer um dos santos chamados Valentim.

Na cultura popular, pode parecer que o dia dos namorados foi convertido em um dia sobre o sexo e sobre ser sexy ao invés do amor. Há lugar para essas duas ideologias nessa data?

–Teti: O catolicismo não é puritano. O enfoque da cultura católica sempre foi associado com a aceitação do que é saudável e superar o que está ruim com o bem.

É claro, não há necessidade de celebrar o dia de São Valentim, não é um dia de preceito!

Mas para aqueles que escolhem celebrar, não há nenhuma razão para que não possa ser uma oportunidade de celebrar o amor humano em todas suas dimensões - incluindo a romântica e a erótica, que são parte do que Deus deixou como dom para maridos e esposas.

POSTS RECOMENDADOS

0 comentários

Modest Fashion Network

Curta no Facebook

Moda e modéstia

Estou no Instagram @aline.brodbeck